caramujo
caravela
porto-covo

Porto Covo, era à data de 1780 uma pequena povoação com uns simples quatro fogos. Tem uma pequena enseada que serve de entrada para a calheta. Em frente, encontra-se a ilha do Pessegueiro, teve algum desenvolvimento com os romanos que aí construíram um porto e um complexo de salga, nesta altura ainda não havia a localidade. Filipe II de Espanha, I de Portugal concebia para a ilha, um porto marítimo. A calheta e o ancoradouro da ilha serviam como portos de pesca e comércio, mas tinham um problema com as condições climatéricas, porque se tivesse o mar agitado não se podia entrar na calheta e se houvesse mau tempo de sudoeste era impossível atracar no ancoradouro.
Porto Covo despertou o interesse de Jacinto Fernandes Bandeira, um grande capitalista da alta burguesia que queria desenvolver a povoação. Mandou fazer uma planta para a urbanização de Porto Covo que acabou por não se concretizar.

planta

Imagens retiradas do Jornal "Redes do Tempo nº. 4" do site da C.M.S.

porto-covo-2
porto-covo-1

Porto Covo, é uma pequena localidade que dista de Sines cerca de 13 km e é freguesia do seu concelho desde 1984. Tem actualmente de área cerca de 48,73 km² e os habitantes rondam os 1038. Situa-se, tal como Sines, junto ao mar, tendo por perto a ilha do Pessegueiro cujo território faz parte do concelho assim como o forte de terra que se encontra mesmo em frente da ilha.
Com a sua localização priviligiada junto ao mar, tem na época balnear o seu ponto alto que se foi desenvolvendo com o passar dos anos. É com a industrialização de Sines, que Porto Covo tem um aumento significativo na sua população. Porto Covo tem o auge da população na época balnear e atingiu o ponto máximo a partir da altura em que o cantor Rui Veloso fez uma canção com o seu nome.
Hoje já é um lugar de férias natural e com bastante afluência. As suas praias são de uma beleza natural verdadeiramente espectacular e a sua gastronomia é excelente.