caramujo
caravela

Literatura vem do latin "litteris" que significa "Letras" e significa instrução. A capacidade de expor, em prosa ou em verso, textos artisticamente escritos isto é LITERATURA

Francisco Luis Lopes, nasceu em Faro em 1816. Tem uma carreira militar que se cruza com a de médico-cirurgião e o gosto pela literatura. Escreve o livro "Duquesa de Florença" que não teve a melhor recepção da crítica. Escreve alguns artigos para jornais. Em 1847 vem para Sines como "faciltativi municipal" (médico-cirurgião). Durante os primeiros três anos escreve "Breve Notícia", com o único intuito de mostrar que Vasco da Gama é natural de Sines.

francisco

A escritora Claudia de Campos, nasce em Sines a 28 de Janeiro de 1859. Era uma mulher linda e feliz, gostava de inovar.
Cláudia foi uma estudiosa de Eça, Quental, Herculano e Castilho.
Escreveu um "Ensaio de Psicologia Feminina", alguns contos intitulado "Rindo...", depois "O último Amor", "A Esfinge", "Baronesa de Stael", "O Duque de Palmela" e "Elle". Foi considerada a irmã Bronté portuguesa.
Morre em Lisboa a 30 de Dzembro de 1916.

claudia

A escritora Arlete Argente Guerreiro, nasce a 1 de Janeiro de 1905 em Sines na rua Teófilo Braga número 54. Com problemas de saúde, que a acompanharam desde o seu nascimento, não a impediram no entanto de se interessar pela escrita.
Escreve testos para suplementos de jornais tornando-se conhecida e ganhando admiradores, escreve também contos e poesias infantis.
Morre a 4 de Novembro de 1940.

arlete

Alberto Raposo Pidwell Tavares, nasce numa família da alta burguesia, a 11de Janeiro de 1948 em Coimbra. De origem inglesa por parte da avó paterna. Muda-se para Sines com um ano de idade onde passa a sua juventude. Irreverente na sua maneira de vestir, choca a sociedade da altura. Frequenta o curso de belas artes em Lisboa e Bruxelas onde passa a viver. Deixa as belas artes e dedica-se à escrita. O seu primeiro livro “À procura do vento num jardim d'agosto”, publica depois "Mar de Leva" dedicado a Sines. Consagra-se como poeta recebendo o prémio Pen Clube com "Medo". Muitos outros se seguiram, "Horto de Incêndio" é o seu último livro. Morre a 13 de Junho de 1997 em Lisboa.

alberto

José Rodrigues Vilhena nasce a 2 de Julho de 1940 em Sines. Carpinteiro de profissão, pós 25 de A brial dedicou-se à política sendo autarca na Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Sines e presidiu por duas vezes na Assembleia Municipal. Dinamizou o movimento sindical e associativo em Sines.
Poeta, prosador e cronista escreve em 1994 "Respostas do Carpinteiro", depois "Onde o Mar abraça o Alentejo" em 1996 e em 2000 "De Alinda a Vila do Cabo". Morre a 18 de Maio 2009.

jose

Francisco do Ó Pacheco, nasceu em Sines a 13 de Setembro de 1947. Fez o curso liceal no Externato de S. José em Santiago do Cacém. Depois de ingressar no serviço militar tira o curso de sargento miliciano na Escola Prática de Artilharia em Vendas Novas. Mobilizado para a guerra do ultramar, vái para Angola numa comissão de serviço de 1970/2. Na vida profissional foi bancário, administrador da ECA-empresa de concentrados de Alvalade 1975/6.
É eleito presidente da Câmara Municipal de Sines exercendo até 1997, foi presidente da Assembleia Municipal de Sines durante 12 anos. Fez parte dos orgãos sociais de várias associações. Colabora com várias rádios. Escreve três livros de poemas "Alentejo Salgado e Doce, Luena da Praia e A Ilha das Batas Brancas", escreve ainda Crónica da primeira greve ecológica em Portugal, Textos Escolhidos e Crónicas de Beja. Mais tarde publica Angola 1970 e Vetaça a favorita de D. Dinis.

pacheco

Joaquim da Costa, nasceu a 20 de Janeiro de 1905 no monte da Cabeça da Cabra. Sem instrução, pois naquela altura era dificil porque o trabalho imperava e a escola ficava longe. Naquele tempo, quem morava fora das povoações não mandava os filhos à escola. De menino ajudava os pais. Com 12 anos foi emprestado por quinze dias ao lavrador do Burrinho. Esse empréstimo durou a vida. Quando andava no campo e fazia os versos tinha que memorizá-los.
Mais tarde, a sua neta Ana Maria resolve editar a poesia que recolheu num livro "Fui... o sonho de uma vida" restrito à família e alguns amigos. Mais tarde lança "O Poeta/O Sonho de uma Vida".

joaquim

Maria do Céu do Ó Baltazar Lopes Paulo, nasceu em Sines a 25 de Fevereiro de 1942, filha de Ermelinda Matos Baltazar e de José Baltazar. Depois de completar o percurso liceal, o gosto pelo ensino fê-la ingressar na Escola do Magistério Primário de Évora onde se formou em 1961. Durante trinta e três anos ensinou crianças e adultos. Participou activamente na Rádio Sines em programas infantis, de Poesia e outros. Em 1994 aposentou-se. Nos tempos livres, retoma o gosto pela pintura e em Fevereiro de 1997 fez a sua primeira exposição, no Centro Cultural Emmérico Nunes. Ao mesmo tempo, escreve histórias de infância e destes trabalhos nasceu o livro “O céu da Céu” que ternamente dedica aos filhos e aos alunos. Mais tarde escreve um livro infantil “A Tuty”, dedicado aos netos.

ceu

Maria Teresa Palmeira, nasceu em Grândola a 28 de Março de 1946. Aos 18 anos veio para Sines onde reside até agora. Desde cedo começou a escrever os seus versos mas, só viriam à luz do dia em 2005 com o lançamento do livro de poesia "O Riso das Marés".

teresa

Maria Ana Viegas Costa mais conhecida por "Biana", nasceu a 25 de Novembrode 1946 na Costa de Santo André. Aos quatro meses de idade veio para Sines onde reside até hoje.
Aos 13 anos, vai trabalhar na cortiça a escolher rolhas, aos catorze passa para a fábrica de concerva Judice Fialho e sai só quando se casa aos 20 anos. Durante este periodo faz o 6º ano.
Já com 29 anos vai trabalhar para a escola primária onde fica até à reforma.
Tendo sempre o gosto pela escrita edita "Poemas de Biana, "A Rocha" e "Na Senda do Poema".

biana

Maria Dulce da Cruz Silva Gomes, nasceu em Sines a 21 de Setembro de 1959 no ceio de uma família humilde. Filha mais nova de três irmãs, cedo se dedicou a escrever, tendo o mau hábito de jogar tudo fora. Mais tarde, apercebeu-se que, como ela diz "é bom partilharmos o que se faz", por isso abriu um blog "Degrau de Silêncio". Em 2013 edita o livro de poesias "Sob um tecto de doce Luz".

dulce

Américo Lourenço, nasce em Lisboa a 29 de Junho de 1963, no ceio de uma família problemática. Teve uma infância de maus tratos e acidentes que lhe dificultaram a existência, mas a força e a persistência foram sempre o seu modo de vida. Aos 16 anos vai trabalhar para um armazém de cereais, depois uma de distribuição, mais tarde vem para Sines trabalhar. O gosto pela leitura leva-o a escrever. Em 2012 apresenta "entardecer".

americo

Gonçalo Naves, nasceu a 16 de Janeiro de 1997. Dedicando-se ao desporto mais pròpriamente ao Basquetebol. Foi levando assim a sua vida de estudante. Uma lesão grave, que o levou a uma operação, terminou com a sua carreira de basquetebolista. É a partir dessa altura, e com mais tempo livre que volta a uma coisa que sempre gostou de fazer, escrever. Desse gosto sai o livro "Bem vindos a esta noite branca" cujo lançamento foi em 23 de janeiro de 2016, na livraria "A das Artes".

naves

Julieta Aurora Santos, nasceu em Sines a 13 de Dezembro de 1963. O gosto pela dança, que tem desde menina, leva-a à formação na área de animação cultural, teatro de rua e dança. Começa por ser Animadora Cultural na Câmara Municipal de Sines. Juntamente com Vladimiro Franklin funda o Teatro do Mar. Em Espanha tira o mestrado de Artes de Rua/Criação para o Espaço Público na Universidade de Lleida/Fira Ta'rrega.
É a criadora de todos os textos, quer eles seja escritos ou não, para o teatro. Escreve a peça "A Lenda do Menino da Gralha". Em 26 de Março de 2017 lança como livro "A lenda do Menino da Gralha".

julieta