caramujo
caravela
freguesia

Em Sines, a instrução não era só na escola; também associações como o Centro Recreativo Sineense, fundado em 1913, por cidadãos republicanos como Francisco da Costa Beja, Pedro de Campos David, Joaquim de Matos Coutinho, Manuel Faria Gidinho e outros. A Associação servia não só para a instrução como para reuniões familiares de convívio, bailes regulares, leitura ou jogo de bilhar. É em 1926 que a Biblioteca Instrução e Recreio do Centro Recreativo Sineense começou a funcionar. Entretanto já em 1916 o sócio Dr. Joaquim de Matos Coutinho tinha proposto numa Assembleia Geral a sua constituição o que foi aprovada. A Biblioteca encontra-se hoje no Arquivo Municipal de Sines.
Em 1914 é restaurado definitivamente o concelho de Sines que passa a ter duas freguesias (Sines e Porto Covo). O primeiro presidente foi Manuel Farelo. É neste ano que começa a primeira grande guerra.

Regulamento da Biblioteca                   Estatutos

                    Centro Recreativo Sineense

Notas da Câmara Municipal de Sines

Este veículo talvez tenha a sido o primeiro transporte motorizado de Sines para Setúbal.

autocarro

Sines, recebe pela primeira vez o combóio a 14 de setembro do ano de 1936 vindo do Barreiro.

televisao
deposito

Os trabalhos de início da construção do depósito da água dão-se em 1940, é nesta altura que também começam os trabalhos para colocação da canalização.
O empreiteiro da construção do depósito da água foi Francisco da Costa Beja, que tinha também na obra, o seu filho Francisco da Costa Beja Junior. No local onde foi construido, existia um moinho.

moinho

BANHOS SALINOS QUENTES


Estas instalações foram construidas por volta de 1902 na Praia Vasco da Gama pela Srª. Francisca da Assunção Viana.


Depois havia os Banhos Quentes, que era ao pé de um rio grande onde a gente ia lavar, do lado esquerdo quando vamos para a praia. Os Banhos Quentes eram uma casa grande e bonita, mobilada de camas para os doentes.
Tinham uns tubos grandes debaixo da areia que iam ligar aos banhos com água salgada.
Vinha muita gente tomar banhos quentes e depois ia para casa. Mas muitos ficavam lá o dia inteiro, não tinham meios, e outros que eram aleijadinhos. Tomavam banhos e vinham cá para fora. Tinham um terraço grande, punham cadeiras e eles ali estavam tomando banhos de sol. À porta, havia um aparelho muito lindo que tocava música.
Lá dentro havia banheiras de pedra, forradas de azulejo. Cada quarto tinha uma banheira, uma cadeira e um cabidezinho para porem a roupinha e tomarem banho. Vinha água salgada por umas torneiras e arrefecia juntamente com a água doce.
Aquilo era muito bem arranjado. Não tinha muitos funcionários, só uns dois ou três. Homens não sei se havia algum. As moças é que andavam lá a limpar e a arranjar.

Texto retirado do "Jornal redes do tempo nº 2"

banhos

A Associação de Bombeiros Voluntários de Sines foi fundada em 1943.
O primeiro quartel ficava dentro do castelo.

bombeiros
bombeiros-1

Primeiro Quartel do Bombeiros Voluntários de Sines.

Actual Quartel dos Bombeiros Voluntários de Sines e a sua corporação.

quartel
quartel-1

O edifício da primeira Escola Primária com quatro salas começa a funcionar no início do ano de 1949.

escola

O sanatório Prats, edifício mandado erigir pela Junta Central dos Pescadores, recebe esse nome em homenagem ao senhor José Prats, que doou o terreno à população de Sines.
Nele passou a funcionar um asilo, uma escola e uma creche.
Hoje é um Lar.

lar
cartaz

A Esplanada Alentejana, local emblemático da década de 60, era um restaurante que funcionava também como local de espectáculos.
Em 29 de agosto de 1949 começam as sessões de cinema e a partir dessa altura passam a ser mais ou menos regulares na época de verão.
Os bailes também são um ex-libris da Esplanada que durante a época balnear fazia as delícias de todos que se encontrava de férias em Sines.
Os artistas foram passando por aqui com alguma regularidade.

esplanada

A Fundação Calouste Gulbenkian inicia o serviço de bibliotecas itinerantes pelo país em 1958. Carrinhas transportavam os livros e estacionavam num determinado ponto da terra, esperavam que os locais os fossem consultar. Depois, podiam levá-los para casa e entregá-los na próxima visita. Sines não foi excepção e muita gente teve oportunidade de ler livros que não teria se assim não fosse.

carrinha

Na zona norte do cabo de Sines havia nascentes de água que formavam lagos a que davam o nome de rio do Ouro e rio da Moura. As lavadeiras levavam a roupa das suas clientes. Aí as lavavam, pondo-as depois a secar, estendidas nas camarinheiras.

lavadeiras
lavadeiras